Pesquisar este blog

sábado, 1 de setembro de 2012

Decifra-me na Primavera Que as Azaléias da primavera alegrem teu coração Não duvides que todas Astibes serão para acalentar O colorido da estação. Guarde teu amor nas Rosas, nas Camélias , nas Pétalas brancas da Margarida. Foram os Miosótis meu amor, que enfeitaram tua alma Na Alfazema da vida ama com devoção. E que os Sinos da Irlanda esteja presente a cada dia E em todas as estações. Mora Alves Azálea – Amor; romance; primeiro amor Astilbe – Esperar-te-ei pacientemente Rosa (vermelho) – Amor; respeito; amo-te Camélia (vermelha) – És uma chama no meu coração Margarida – Inocência; amor leal; pureza Miosótis – Amor; recordações Alfazema – Devoção

2 comentários:

  1. Aah a Primavera...
    adorei o poema e a fotinho desta flor azul, linda.
    Abraços, saúde, inspiração e muita paz interior.

    ResponderExcluir
  2. "A poesia é a estrutura de um sentimento. Para que possamos sorrir temos que chorar ao sentir brotar uma nova frase"

    Parabéns pelo blog

    http://oficinalucrativa.blogspot.com

    ResponderExcluir