Pesquisar este blog

domingo, 22 de dezembro de 2013

Soneto da Despedida ( Castelo Hanssen )


Soneto da Despedida

De tudo nesta vida, eu desatento,
e sentindo chegar o fim da linha,
parodiando o grande poetinha,
quero me despedir sem um lamento.

Eu, que passei em vão cada momento,
Desperdiçando riso. Dor e pranto,
Sorrindo aberto e soluçando ao canto
Deixo somente meu contentamento

Por todos os momentos que já tive,
Ingredientes doces da poesia,
Quero saudar na minha despedida

A alegoria que se chama vida,
A vida que gastei quanto podia
E a morte, destino de quem vive.

Castelo Hanssen

Nenhum comentário:

Postar um comentário